Notícias

​ABEG quer a participação ativa de projetistas e executores na revisão da Norma de Fundações

Jun 05 2017

A norma NBR 6122, que regulamenta Projeto e Execução de Fundações, está em vigor com a mesma redação desde 2010. De lá para cá, muito se avançou no setor de fundações. Novas técnicas e tecnologias passaram a ser utilizadas, além das já conhecidas.

Revisar a norma é, nesse contexto, importante para adequá-la à realidade atual.

A ABEG, que tem participado ativamente dos trabalhos de revisão, entende que é fundamental mobilizar projetistas e executores de fundações para que eles possam interferir efetivamente no processo de revisão da norma. “É muito importante contar com mais membros da entidade nesta tarefa”, afirma Ilan D. Gotlieb, presidente da ABEG.

A ABEG faz parte do grupo que se reúne quinzenalmente para discutir a revisão da NBR 6122. A última reunião aconteceu no dia 13 de julho. A próxima acontece no dia 27 de julho, das 9 às 11 horas, no Auditório do condomínio localizado na Avenida Queiroz Filho, 1.700, na Zona Oeste de São Paulo (SP). “Todos os associados estão desde já convidados”, diz o presidente da ABEG. Não é necessário confirmar presença. Para visualizar a localização, clique aqui.

“Para ser considerada válida, a revisão de uma norma técnica precisa contar com a participação de produtores, consumidores e agentes neutros. Neste caso, os produtores são os projetistas e os executores. Já os consumidores são representados pelas construtoras, enquanto os agentes neutros são os representantes das universidades e as entidades técnicas, como a ABEG”, explica o presidente da Associação.

“O ideal é haver um equilíbrio entre essas três categorias para que a revisão seja feita de maneira a atender todos os lados. O que sentimos, no entanto, é que há poucos projetistas, poucos produtores”.

“Queremos que a norma seja elaborada de acordo com todos os mais modernos requisitos técnicos”, ressalta Ilan. “Mas temos que tomar cuidado para que as especificações ali destacadas estejam de acordo com o que é adequado e praticado pelo mercado”.

A NBR 6122 tem força de lei. É fundamental que a revisão esteja de acordo com as exigências e as melhores práticas do mercado. “Por isso, queremos mobilizar todos os associados ABEG que tiverem disponibilidade para participar da revisão. A união de forças é fundamental para que tenhamos uma norma adequada para que a engenharia seja praticada da melhor maneira”. (Atualizado em 19/07/2017)

Ler 917 vezes

About The Author