Notícias

strada

strada

 

Entre os dias 9 e 11/8 acontecerá, com o apoio da ABEG, a 13ª edição do Concrete Show South America. Ele será realizado presencialmente no São Paulo Expo, e digitalmente, nos dias 2 de junho e 26 de outubro. Serão apresentadas as principais tendências e inovações do mercado através dos representantes da cadeia produtiva da construção em concreto. Confira os macrotemas de cada dia de programação presencial:

 

 
09/8 - Congresso Internacional de Pavimentos Urbanos de Concreto - PUC

 

10/8 - Congresso Paredes de Concreto para Edifícios Altos - ABECE| ABESC | IBTS

 

10/8 - 14º Seminário de Pisos e Revestimentos de Alto Desempenho - ANAPRE

 

10/8 - Galvanização por imersão a quente - protegendo o vergalhão contra a corrosão - ICZ

 

11/8 - Avanços e Viabilidade da Pré-fabricação em Concreto na América Latina - ABECE | ABCIC | IBRACON

 

Para participar e saber mais, acesse aqui.

 

Com o apoio da ABEG, a 13ª edição do evento Concrete Show South America acontecerá entre os dias 9 e 11/8. O evento, considerado o maior e mais completo da América Latina em soluções para a cadeia produtiva da construção em concreto, acontecerá presencialmente no São Paulo Expo, e digitalmente, nos dias 2 de junho e 26 de outubro. Faça seu pré-credenciamento aqui.

O Produto Interno Bruto da construção civil no Brasil apresentou alta de 9,7% em 2021, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse é o melhor desempenho observado pelo setor desde 2010, quando o PIB alcançou crescimento de 13,1%. 

De acordo com o informativo econômico produzido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) em conjunto com o Senai, publicado no dia 4/3, os resultados demonstraram o impacto do retorno das atividades econômicas após as constantes paralisações em razão da pandemia de Covid-19. Já o desempenho da construção civil refletiu a ampliação das atividades no mercado imobiliário. 

A economista da CBIC, Ieda Vasconcelos, destaca que esse ciclo começou em 2020, no primeiro ano da pandemia. Segundo ela, os negócios da construção foram especialmente impulsionados pelo baixo patamar das taxas de juros. “Com isso, o setor ganhou impulso, mesmo diante das dificuldades vivenciadas como o forte incremento no custo dos seus insumos”, explicou.

O relatório aponta que a amplificação do crédito imobiliário e a venda de imóveis novos são os motivos dos resultados positivos obtidos pela construção civil. No último ano, dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) mostraram que os financiamentos imobiliários com recursos da caderneta de poupança totalizaram R$ 205,4 bilhões, o que correspondeu a uma alta de 65,7% em relação ao ano anterior e também a um recorde histórico anual. No total, foram financiados cerca de 866 mil imóveis, número 103% superior ao ano de 2020.

O informativo indicou que esses números também refletiram no mercado de trabalho, uma vez que informações do Novo Caged, divulgados pelo Ministério do Trabalho, em 2021, apontam que a construção civil gerou quase 245 mil novas vagas com carteira assinada, o melhor resultado em 11 anos. 

Tudo isso mostra que o setor conseguiu recuperar as perdas obtidas em 2020, quando o PIB da construção civil registrou queda de 6,3%. Apesar disso, essa indústria não conseguiu obter melhora nos baixos desempenhos retratados em anos anteriores. Segundo o documento, de 2014 a 2021 a construção civil ainda contabiliza queda de 26% em seu PIB.

O informativo econômico integra o projeto ‘Banco de Dados da Construção (BDC)’ da CBIC com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional). Para ter acesso ao levantamento completo, clique aqui.

Com informações do portal CBIC