Artigos

Foto: Isac Nóbrega/PR
Foto: Isac Nóbrega/PR

Carta ABEG. "Entre a justa indignação e o linchamento moral"

Jan 31 2019

A sociedade brasileira não suporta mais a repetição de acidentes que poderiam ter sido evitados se a solução técnica mais conservadora tivesse sido adotada. Casos como o de Mariana e, agora, o de Brumadinho, em Minas Gerais, causam enorme sofrimento nas comunidades diretamente afetadas. Vidas foram ceifadas, famílias destroçadas, meio ambiente arruinado. 

O medo passou a ser companheiro inseparável das populações que podem, no futuro, vir a ser afetadas pelo eventual rompimento de barragens semelhantes às de Brumadinho, que estão espalhadas pelo país. É insuportável conviver com essa situação.

A justa indignação da sociedade brasileira abriu caminho, no entanto, para iniciativas marcadas por um inegável desejo de vingança – e não de Justiça. No lugar de promover uma apuração independente, rigorosa e técnica, busca-se a conveniente escolha de “culpados”. Pouco importa que não sejam eles os donos da barragem, nem sequer os seus operadores ou construtores.

Não se leva em conta que o ‘mal’ está na raiz, ou seja, na escolha incorreta da solução técnica mais adequada e conservadora para construir uma barragem de rejeitos. Ao promover o linchamento moral de dois engenheiros da empresa Tüv Süd Brasil, que atestaram a segurança da barragem citada na data de 26 de setembro de 2018, não estamos pensando no futuro, não estamos trabalhando para que as barragens de rejeitos sejam construídas segundo outros modelos e técnicas, não estamos exigindo que as atuais barragens, com alteamento a montante, sejam descomissionadas. Estamos promovendo um linchamento moral e, quem sabe, a destruição da carreira de dois brilhantes engenheiros geotécnicos.

É evidente que as responsabilidades devem ser apuradas e os responsáveis, punidos. Mas não se faz isso a priori, elegendo culpados que são, neste caso, de forma não surpreendente, os elos mais frágeis dessa corrente. Em um acidente como este de Brumadinho, a apuração das causas será consequência de estudos exaustivos e profundos, realizados por profissionais e empresas independentes, que desfrutam de insuspeitada reputação.

Os engenheiros André Yassuda e Makoto Namba, que estão em prisão provisória, desfrutam de grande credibilidade no meio técnico e no universo da geotecnia. Ambos construíram uma longa e vitoriosa carreira durante a qual prestaram excepcionais serviços à geotecnia brasileira. É assustador observar que pessoas e profissionais dessa qualidade sejam jogados à fogueira do ódio público, com o apoio até de entidades que deveriam defendê-los dessa moderna inquisição.

Não queremos impunidade. Queremos Justiça. Queremos o devido processo legal. Queremos respeito aos inocentes até que eles sejam declarados culpados depois da correta apuração dos fatos. Queremos que as melhores técnicas sejam aplicadas à construção de barragens e que as barragens com alteamento a montante, hoje em operação, sejam eliminadas. 

Vamos crescer como país fazendo Justiça e não promovendo o linchamento de reputações.

ABEG - Associação Brasileira de Empresas de Projetos e Consultoria em Engenharia Geotécnica

31 de janeiro de 2019 

ABEG

A ABEG (Associação Brasileira de Empresas de Projetos e Consultoria em Engenharia Geotécnica) é uma associação sem fins lucrativos fundada em 27 de novembro de 1997 que congrega empresas especializadas no desenvolvimento de projetos de fundações, contenções, taludes e sua estabilidade, terraplenagem, pavimentação e drenagem, geotecnia ambiental, túneis e barragens.

 

Ler 6054 vezes
Avalie este item
(3 votos)

About The Author

11 comentários

  • CLAUDIO SILVA AMORIM
    Link do comentário CLAUDIO SILVA AMORIM Quarta, 06 Fevereiro 2019 14:14

    Muito bom o texto, pois sabemos onde se esconde a realidade, e precisamos ser justos e defender a classe. Precisa-se de uma apuração coerente, e a presidência e a diretoria da Vale é quem deveria estar em investigação, e substituídos enquanto durarem as investigações.

  • Carlos J. M. Costa Branco
    Link do comentário Carlos J. M. Costa Branco Terça, 05 Fevereiro 2019 19:56

    Excelente é oportuna manifestação da ABGE, parabéns!
    Quanto ao resto, já passou da hora do CREA-SP vir a público pedir desculpas por esse posicionamento intempestivo, cruel e inaceitável.

  • Cláudio Marques de Almeida Prado
    Link do comentário Cláudio Marques de Almeida Prado Domingo, 03 Fevereiro 2019 22:58

    Conheço os engenheiros André Yassuda e Makoto Namba há pelo menos 25 anos, tendo trabalhado em conjunto com ambos na Bureau de Projetos e Consultoria em inúmeros projetos no Brasil e no Chile. Testemunho a idoneidade moral e profissional de ambos. Essa prisão se insere num episódio triste da justiça brasileira, no qual se elegeram bodes expiatórios para acalmar a opinião pública.

  • Yannis Calapodopulos
    Link do comentário Yannis Calapodopulos Domingo, 03 Fevereiro 2019 22:42

    Oportuna e corajosa a carta aberta da ABEG, a qual coloca de forma objetiva sua indignação às prisões discricionárias ocorridas com os profissionais André Yassuda e Makoto Namba. A acusação do MP de forma precipitada e irresponsável é na realidade, uma afronta a todos nós engenheiros que trabalhamos na construção civil - mola propulsora da economia em qualquer país desenvolvido. Oxalá tenhamos nos próximos dias a devida reparação do poder público deste ato impensável.

  • Daniele Boucher
    Link do comentário Daniele Boucher Sábado, 02 Fevereiro 2019 14:11

    Não sou da área de geotecnia, sou de estruturas, mas parabenizo a ABEG pelo posicionamento e ratifico a indignação com relação à prisão dos colegas e com relação ao posicionamento absurdo e midiático do CREA.

  • PETRONILHO
    Link do comentário PETRONILHO Sexta, 01 Fevereiro 2019 15:43

    Tinham que pegar alguém. Yassuda e Makoto não estão atrelados a nada e a ninguém a não ser à engenharia. Isto vai se desenrolar em fogo brando, igual Mariana. É espetar para ver...

  • Egas Moniz Gonçalves y
    Link do comentário Egas Moniz Gonçalves y Sexta, 01 Fevereiro 2019 11:29

    Parabéns pelo artigo. Os fatos devem ser devidamente apurados e que a punição seja baseada em análise técnica e independente. Os 2 engenheiros e os 3 geólogos estão sendo acusados pela ânsia de se fazer justiça e não por análise técnica adequada. Mais uma vez parabenizo a ABEG por essa iniciativa.

  • Gentil Miranda Junior
    Link do comentário Gentil Miranda Junior Sexta, 01 Fevereiro 2019 11:15

    Excelente comentário.
    Que a engenharia seja valorizada e empresas e profissionais sérios e competentes, como são o Makoto e o Yassuda, tenham o devido respeito e condições de trabalhar e desenvolver a engenharia e prestar um digno serviço à sociedade brasileira.

  • Orlando Tsukumo
    Link do comentário Orlando Tsukumo Sexta, 01 Fevereiro 2019 07:00

    Excelente artigo. Ao contrário do CREASP que elogiou e apoiou a prisão de meus colegas, amigos e profissionais competentes, dignos e honestos. Senti vergonha ao ler a NOTA DE ESCLARECIMENTO do nosso Conselho de Classe.

  • Armando Belato Pereira
    Link do comentário Armando Belato Pereira Quinta, 31 Janeiro 2019 18:28

    Excelente artigo! O mesmo ocorrera no triste episódio da barragem de Fundão. São prisões que, até então, não se justificam, de profissionais renomados no meio técnico, com o propósito de "acalmar" a população dando a sensação de "justiça sendo feita".

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.